Aurélio Aquino - verbos

Assim se invente a vida, coisa de não sofrer, jeito de ser querida

Textos

das larguras de mim e do futuro
lúdico
nada me joga
público

andante
de mim
discurso
e súbito
deixo os repentes
em que me culpo

sou um barco,
enfim,
de todos os mares
do meu curso

o sonho
é só um jeito
em que me uso
Aurélio Aquino
Enviado por Aurélio Aquino em 09/05/2017
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (por Aurélio Aquino). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras